"Fast furious" não chega: Vin Diesel revela o maior arrependimento na carreira

Apesar dos filmes de sucesso, ator ficou sem tempo para desenvolver outra faceta da sua carreira.


Vin Diesel teve de sacrificar uma coisa por causa do sucesso de filmes como os da saga "Velocidade Furiosa".
Numa recente entrevista, o ator de 52 anos revela que o maior arrependimento na sua carreira até agora é não ter continuado a trabalhar atrás das câmaras como realizador.
Antes de conquistar o título de "herói do cinema de ação", vale a pena recordar que Vin Diesel começou por se fazer notado por "Multi-Facial", uma curta-metragem de 1994 onde foi ator, realizador, argumentista e produtor.
Três anos mais tarde, exerceu as mesmas funções numa elogiada longa-metragem, "Strays", que esteve em competição no Festival de Cinema Independente de Sundance e chamou a atenção de... Steven Spielberg.
O realizador deu-lhe um papel secundário em "O Resgate do Soldado Ryan" (1998), que lhe abriu as portas de Hollywood. E após um papel secundário em "Dinheiro Quente" (2000) e um sucesso surpreendente com "Eclipse Mortal" (2000), deu o salto para a saga que o tornou uma estrela global.
"Por falar em Steven Spielberg, estive com ele recentemente e disse-me, 'Quando escrevi o papel para ti em 'O Resgate do Soldado Ryan', obviamente que estava a aproveitar o ator, mas também estava secretamente a apoiar o cineasta em ti e não tens feito isso o suficiente. Isso é um crime de cinema e tens de voltar à cadeira de realizador", revelou ao The National.

Publicar um comentário

0 Comentários